Procissão do Senhor dos Passos da Graça evoca a Guerra na Ucrânia

No passado dia 13 de março centenas de pessoas participaram no regresso da Procissão do Senhor dos Passos da Graça às ruas de Lisboa, depois da interrupção causada pela pandemia.
 
Este ano, nas preces dos fiéis e nos discursos dos responsáveis religiosos durante as celebrações, foi invocada a Guerra na Ucrânia.
 
Dom Joaquim Mendes, bispo auxiliar de Lisboa, que presidiu à celebração, pediu para que todos olhem para esta guerra “com mais humanidade” e “menos indiferença”.
 
Palavras que certamente tocaram profundamente a embaixadora ucraniana em Lisboa, Inna Ohnivets e alguns ucranianos residentes em Lisboa que acompanharam o desfile que, como sempre, saindo da Igreja de São Roque, junto ao Bairro Alto, atravessou a Baixa e a Mouraria, terminando na Igreja da Graça.
 
Integraram o cortejo entre outras autoridades, o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas e a Presidente da Junta de Freguesia de São Vicente, Natalina Tavares de Moura.
 
A Procissão do Senhor dos Passos da Graça é a mais antiga manifestação deste género que se realiza em Lisboa, remontando as suas origens a 1587.
 
Este site utiliza cookies e pede-lhe alguns dados de forma a maximizar a sua navegação neste site.